© 2016 by A L U Z A Z U L

Proudly created with Wix.com

Livro infantil, de autoria de Luigi Epiphanio Venturoli

O Relógio que perdeu as horas - Livro

R$ 35,00Preço
  • O autor Luigi Epiphanio Venturoli foi diagnosticado aos dois anos e meio de idade com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Um exemplo que nos mostra que todas as crianças são especiais à sua maneira e que desafios estão aí para serem vencidos.

     

    A leitura sempre foi um hábito na casa dos Epiphanio Venturoli, a mãe Patricia e o pai Marcelo, sempre gostaram de ler para seus filhos gêmeos, Luigi e Giuliano, criando e imitando as vozes de personagens e estimulando a imaginação das crianças, principalmente na hora de dormir. Os meninos surpreenderam seus pais quando se alfabetizaram espontaneamente, Luigi aos 3 anos e 6 meses e Giuliano aos 4 anos, invertendo o hábito da leitura e passando a ler para seus pais a partir dos 5 anos.

    Ambos foram diagnosticados com TEA e as características encontradas foram: dificuldade de comunicação verbal e não verbal, o entendimento literal de tudo, a dificuldade na imaginação e no brincar, entre outras. Nas crianças com TEA, a criatividade e imaginação devem ser estimuladas para que venham à tona. Elas fixam seus interesses em objetos (mais do que em brinquedos) e no caso de Luigi e de Giuliano, as letras do alfabeto sempre foram o foco de interesse. 

    Na época da criação desse livro o tema favorito das crianças eram relógios! Queriam um relógio despertador no quarto para ouvir seu ruído estridente pela manhã, mas não deu certo, pois o tic-tac não os deixava dormir. O relógio-cuco do tio avô Humberto era alegria total e sempre que chegavam no Orquidário, onde o relógio estava,  o querido tio posicionava o ponteiro às 12 horas para o cuco aparecer. 

    Depois, quando Patricia foi estudar sobre o autismo nos Estados Unidos, o pedido não foi outro, queriam um relógio, e ela trouxe um relógio foguete.

    Foi neste contexto, onde relógios eram o grande interesse, que Luigi em uma noite disse para a sua mãe que ele ia lhe contar uma história. Era a primeira vez que isso acontecia, e Patricia emocionada, escutou atenta e fascinada com os personagens criados pelo filho, na época com 7 anos. No dia seguinte, contra a vontade de Luigi, ela pediu para que ele contasse novamente a história e a digitou no computador, onde ficaria guardada por 3 anos. Com a ajuda da ALUZAZUL, o patrocínio fundamental da Korin Agropecuária, do avô Hélio Epiphanio e as ilustrações criativas de Juliana Lie Hirata, o livro saiu do computador e foi para a impressão. 

    Muitos obstáculos os gêmeos Luigi e Giuliano já venceram, mas chegou o dia de conferir e comemorar o lançamento do primeiro livro infantil do Luigi para ajudar outros pais e mães a estimularem a criatividade de seus filhos... Todos especiais à sua maneira. Venham conferir!